Visconde de Mauá/ Maringá - Rio de Janeiro

Quando fomos à Visconde de Mauá, no estado do Rio, pela primeira vez, na verdade estava indo para Maringá e não sabia. É que a região de Visconde de Mauá é composta por vilas, sendo as principais: Maromba, Maringá e Visconde de Mauá. A vila de Maringá faz divisa com Maringá Minas (fala-se por lá Maringá Rio e Maringá Minas). A viagem é para quem quer contato com a natureza e se desligar do mundo, e a experiência já começa pelo caminho até lá. Chegar até Visconde de Mauá é tranquilo, pegamos uma estrada boa, mas ao chegar na cidade, é necessário pegar o trajeto as vilas. O caminho é de terra, e não é dos mais tranquilos, mas não é para desanimar, é só para preparar os mais desavisados. A viagem vale, não iria querer registrar aqui se não achasse que valesse a pena, e também não teria ido outras vezes, além de natureza, você encontra muita hortência pelo caminho, o que deixa a estrada lindíssima.





Caminho para Mauá/Maringá





 Compramos um pacote num site de compras coletivas e fomos “no escuro”, para conhecer mesmo. A pousada não era luxuosa, mas a experiência foi boa, era próxima ao centro gastronômico, mas não dava para irmos a pé. Ainda estava em obras e a piscina não estava funcionando, mas tudo bem porque queríamos conhecer as cachoeiras. O café da manhã era muito bom, bem caseiro. Na segunda vez, ficamos em uma pousada na rua dos restaurantes, em Maringá Minas, muito melhor. Você não precisa procurar vaga para estacionar, pegar carro para voltar para casa e pode aproveitar um bom vinho sem se preocupar.
Chegamos numa sexta-feira na parte da tarde, já não dava para irmos para cachoeiras, nesse dia aproveitamos para conhecer a parte noturna. Conforme nos foi explicado Maringá se divide em parte Rio e parte Minas, para ir de um lado ao outro só é necessário atravessar uma pequena ponte a pé, supertranquilo. Na parte Minas ficam os restaurantes que gostamos mais, tem de tudo, founde, pizza, pratos com peixe da região (truta, perfeito!). Na parte Rio também há boas opções para comer, churrasco, pizza, peixe.
Nesse dia escolhemos ir ao restaurante Borbulha, perfeito!!!! Uma das melhores refeições! Além do sabor excelente, o local tem uma decoração muito aconchegante e um Museu do Vinil, com acervo contando com mais de 3700 LPS entre Nacionais, Internacionais e Novelas. Para quem gosta de comer bem e tomar um bom vinho, não há como não ir.


Borbulha (Fonte: Site Borbulha)
Além do Borbulha, também vale muito a pena ir ao trutário, o Truta Rosa, fica no Vale Santa Clara. O local é lindíssimo para um almoço no meio da natureza e com qualidade.
Trutário Truta Rosa
Nas noites mais frias um founde cai muito bem. Escolhemos o Costa Brava - Casa do Founde, excepcional!!! Fica no lado Maringá Minas. Além do founde ser perfeito, a decoração e clima, criam uma harmonia perfeita.

Costa Brava - Casa do Founde (Fonte: Site Visconde de Maua)
Há outras opções que são ótimas, mas não conseguimos conhecer todas e não lembro o nome de algumas. Nessa região, também há loja de chocolate, artesanato, roupas, velas e coisas da região. Mas para quem quer ficar curtindo a noite de forma mais íntima, vale comprar uns frios e aproveitar o friozinho com vinho. Se precisar há um mini mercado Irmãos Quirino, fica na parte Maringá Rio.
Para passeios na natureza há as caminhadas, cachoeiras, e ainda aluguel de quadriciclos para os mais aventureiros. Para ir às cachoeiras é necessário ir de carro e algumas ainda precisamos fazer trilha, que foi bem tranquila. A primeira que fomos foi a Cachoeira Véu da Noiva, muito tranquila de chegar, estacionar é mais complicado. Depois do carro estacionado, se faz uma pequena e tranquila trilha e pronto. 

Cachoeira Véu da Noiva
Conhecemos ainda a Cachoeira do Escorrega e o Poção da Maromba. Da primeira vez que fomos acabou a viagem por aí, e vou explicar e alertar!
Cachoeira do Escorrega
O Poção da Maromba é lindo, e bem profundo, há uma pedra sobre a qual você pode pular e mergulhar. No entanto cuidado!!! Por mais que ao chegar lá alguém te incentive a ir, eu tive uma experiência nada boa, e gosto de contar a todos, para evitar que mais alguém passe pela situação que passei. Na Vila da Maromba, fica o Poção, que conta com 7 metros de profundidade e uma pedra com 8 metros de altura para pular. Pois bem, como ainda era fã de aventura, resolve pular, vi muita gente pulando e falando que é muito legal. Mas não….
Por ser muito profundo, você deve pular reto, pois a pressão da água é muito forte. E depois que você se F#@x as pessoas falam que estão com muita dor, que a pancada na água doeu muito e etc… Enfim pulei, sem saber da pressão da água, quando estava chegando na água minha perna dobrou e mergulhei sentada. Por conta de fragilidade capilar, estouraram vários vasos linfáticos das minhas duas pernas, do joelho ao glúteo. Tive que voltar deitada de bruços no carro e não conseguia sentar. Passados os dias a perna ficou com hematomas roxos/pretos e aos poucos o corpo foi absorvendo. O local é lindo, mas sugiro muito, muito cuidado para quem quiser pular.
Passado esse porém, em outra visita que fizemos à Mauá, porque a primeira acabou com a visita ao Poção, fomos ao Vale do Alcantilado. É um parque onde há uma sequência de 9 cachoeiras, você vai fazendo a trilha e encontrando elas ao caminho. Perfeito, passeio muito bom! Há um banheiro logo na entrada, aproveite, no caminho nem lembro se tinha, mas cuidado com aranhas locais…. Aproveite a caminhada e a vista da natureza, a última cachoeira fica bem no alto do morro, lindo passeio. Na descida aproveite para tirar ótimas fotos.
Tomamos banho na primeira cachoeira. Comemos no quiosque que tem na entrada do parquet. Peixe frito na hora, fresquinho, recomendo, muito bom!!!!



Vale do Alcantilado

Postar um comentário