10 dicas para concurseiros


Hoje vou falar de um assunto que interessa a muitas pessoas: estudo para concurso. Há alguns anos atrás me dediquei a esse objetivo e consegui realizá-lo. Sei como pode ser pesada a rotina de estudos para algumas pessoas e por causa disso trouxe algumas dicas do que fiz para conseguir chegar a tão sonhada convocação, porque sabemos que só a aprovação não basta. Antes de tudo, e mais importante é a confiança, acredite que você é capaz, porque você é. Seja perseverante e disciplinado, pode ter certeza que você também conseguirá.

Concurseiros são aquelas pessoas que estudam com o intuito de passar e trabalhar no serviço público seja Federal, Estadual ou Municipal. O mercado de concursos cresce mais de 40% ao ano no Brasil (Jornal Hoje, 14/10/2013). No entanto, isso não nos garante uma vaga, nosso esforço deve ser cada vez maior, justamente por conta do crescente interesse.





Quem se dedicou e passou por isso sabe como o caminho pode ser árduo e de abdicações. Mas se desejamos isso, devemos seguir em frente. Há alguns anos passei por isso, e graças a Deus alcancei meu objetivo. Para os que ainda estão no caminho, vou passar as dicas que acumulei, seja por percepção própria ou por meio da ajuda de outras pessoas.
Primeiro de tudo, é importante sabermos que cada indivíduo é um ser único, e o que pode ser bom para mim pode não ser para você. Acho muito válido ler e ouvir dicas e tentar incorporá-las na sua rotina, levando em conta sua personalidade e características.
Outro ponto que devemos considerar é que cada concurso tem suas peculiaridades, uma prova de auditor não é igual a uma prova de juiz, por exemplo. Então tente sempre adequar o que falo à sua área e ao estilo de sua prova.

Essas dicas já passei para várias pessoas, estruturei aqui em tópicos para ficar mais fácil. Então, mãos à obra:

1. Tenha certeza do que você quer: se você decidiu que esse é o caminho que você quer para sua vida, largou o seu emprego para se dedicar a isso e está abrindo mão de muitas coisas por conta desse objetivo, você deve estar certo. Escolher um concurso para se dedicar ou uma área pode facilitar, não adianta ficar atirando para todos os lados (concurso, trainee, emprego etc). Se você quer concurso, saiba que o caminho pode ser puxado, mas nunca impossível. Se você tem que trabalhar, então tenha certo para si que em suas horas livres você terá que vencer o cansaço e se dedicar aos estudos. Quando o seu cansaço bater, você tem que pensar no seu objetivo maior!

2. Respeite e “proteja” sua decisão: muitas vezes, quando tomamos essa decisão, parece surgir empecilhos, aniversários, reuniões com amigos, barzinho, passeio e etc. Bem, sua decisão foi tomada, então cabe a você dizer o que pode ou não atrapalhar a realização do seu objetivo. Sempre teremos os imprevistos da vida,  que não poderemos adiar, então, temporariamente, os adiáveis podem ser adiados. É bom entendermos que qualquer minuto é minuto, e pode ser crucial, pode ser uma frase chave ou um exercício que nos fará a diferença. Não permita que nada nem ninguém tente minar o seu sonho, persevere e diga não ao que pode vir a atrapalhar seu estudo e sua paz de espírito.
  
3. Programe o seu estudo: começar a estudar sem saber para onde vai pode ser perigoso, você pode perder seu tempo e não sair do mesmo lugar. Seja objetivo, avalie os concursos anteriores da área que você escolheu, veja as provas e a matéria. Tente descobrir os autores que a banca costuma utilizar. Um bom planejamento pode fazer você ganhar tempo na sua rotina de estudos. Pode pegar um livro e separar por capítulo, matéria, número de páginas, horas por cada disciplina e etc. Veja quantas horas do seu dia você pode estudar, quantos dias da semana e tente organizar seu estudo nesse tempo. Evite desperdiçar seu tempo pensando no que você vai estudar, faça um planejamento e isso lhe renderá muito no caminho.

4. ”Respire” questões e conteúdo: Viva o seu caminho de estudo, chegar no seu objetivo é algo incrível, mas tente se dedicar ao máximo em sua caminhada, ficará mais fácil. Leve sempre algum material ou questões em sua bolsa, vale fazer na fila, no ônibus, no intervalo de uma aula. Procure conversar com pessoas que estão nesse caminho também, “troque figurinhas” e incorpore estudo e exercícios nas suas conversas e na sua vida. Mesmo que a pessoa não seja da área, tente explicar a ela determinado assunto, é um bom exercício para você ver como está organizado o conhecimento em sua mente.

5. Intercale matérias ao estudar: essa dica me foi passada por duas pessoas diferentes. Achei a ideia interessantíssima. É assim, você estuda cada matéria por 1 hora e meia, depois para onde estiver e estuda outra por mais uma hora e meia, sempre tentando intercalar matérias diferentes, exatas e humanas, por exemplo. Isso faz com que você consiga acelerar o seu raciocínio, além de que na hora da prova as questões saltam de uma disciplina para outra e ficar perdendo tempo para se adaptar ao novo conteúdo não vale a pena. Algumas pessoas me falaram que não conseguem estudar assim, veja se seu perfil se adapta ou não.

6. Faça exercícios sempre: só ler pode acabar gerando uma confusão, fazer exercícios nos ajuda a organizar o conhecimento. Ainda nos permite perceber onde temos dúvidas. Quanto mais exercício fizer, melhor. Quando sua mente já estiver cansada, por exemplo depois de estudar, pegue questões e fique fazendo.





7. Simule provas: treinar o dia da prova é importantíssimo. Primeiro, você tem que lidar com o tempo, com o emocional e com possíveis imprevistos. Se você vai para a luta sem saber nada do que vai acontecer por lá, pode ter um descontrole emocional que só vai te atrapalhar. Assim, tente fazer provas de outros concursos em sua área, para sentir como é o dia de prova, quanto mais você fizer, mais confortável você vai para sua prova. 


Além disso, caso não possa fazer outras provas simule você mesmo uma prova. Prepare com antecedência as questões, veja o melhor lugar (prefira fora de casa, pois é onde podemos ter imprevistos, a sua prova você não fará no conforto de sua casa), prepare o relógio e leve lanche. É bom você ver quanto tempo levar para comer (se sentir fome), ir ao banheiro e passar as respostas para o cartão resposta, se sua prova tiver. Aproveite para ir se aprimorando cada vez mais, já vi muita gente que não conseguiu marcar o cartão resposta porque não administrou bem o tempo. Tentar evitar essas pequenas coisas já facilita.

Se sua prova tiver marcação em cartão resposta, faça um parecido, à mão mesmo, para treinar as marcações.

8. Leia livro e faça seus resumos: em algumas provas ler resumos é suficiente, mas em outras vão exigir de você mais do que meros resumos, principalmente os emprestados. Quando você lê o conteúdo no livro (não é para ler o livro todo sempre, apenas a parte do livro que aborde o conteúdo do seu concurso) você entende os fundamentos e o que o autor está desenvolvendo para afirmar certa coisa. Muitas vezes decoramos e deixamos de lado o que pode ser de fato o diferencial. Fazer os seus resumos te ajuda pois próximo a data da prova você não terá como reler todos os livros, aí que entram os seus resumos, como foi você quem escreveu, fica mais fácil recapitular.

9. Trabalhe sua mente e controle o seu emocional: a pior coisa é sofrer na véspera da prova achando que não sabe nada. Pense uma coisa, se você estudou, algo você sabe! Ninguém vai para a prova sabendo tudo, ninguém. Então acredite que o que você estudou vai cair, e se encontrar algo que você não saiba, aceite, pois não tem como você aprender e absorver tudo, somos humanos. Se na prova o desespero bater, vá ao banheiro, respire fundo, beba uma água e volte calmamente para a prova. Parta para outra questão e vá conversando com sua prova.

10. Na hora da prova: não vá para a prova achando que ela é sua inimiga e você tem que “matar” as questões. Vá para a prova encarando-a como uma conversa, tente entender o que ela está querendo saber de você. Se você não souber uma questão não se desespere, vá para as outras e volte para ela no final, lembre de destacá-la para voltar e fazer, mas para isso controle seu tempo. Leve água e um lanche rápido, a pior coisa é pensar com fome ou sede, a mesma coisa serve para o frio, leve sempre um agasalho, vai que sua sala tem ar condicionado.
Meu jeito de fazer provas sempre foi diferente da maioria das pessoas. Eu sempre começava a prova de trás para frente, geralmente no final havia questões mais fáceis de entender e que valiam mais pontos. Se eu começasse do início, ia chegar no final cansada, sem raciocinar direito. Então começava de trás para frente, na última folha ia marcando as questões que eu não sabia. Após um bloco de questões eu parava e já passava para o cartão resposta as que eu tinha certeza, sempre com cuidado para não marcar a resposta em outra questão.
Depois eu passava para português, como tinha texto, minha mente também não podia estar muito cansada para interpretar. Em seguida marcava também o cartão resposta. E ia fazendo assim. 
Nas provas com questões discursivas, eu sempre fazia um rascunho e tentava ou tratar exatamente o que a questão queria ou, se eu não sabia o que era, ir falando das questões pertinentes sobre determinado assunto (dependendo sempre dá para garantir uns pontinhos, mas tem que ser pertinente). Parava para ir ao banheiro e comer, algo como uma barra de cereal ou chocolate, ou biscoitinho salgado para não baixar a pressão.
Acredite que o concurso é uma fila, você pode entrar rápido ou demorar mais um pouco, mas sua hora vai chegar. A única coisa que você não pode fazer é desistir. Se você traçou seu objetivo, siga-o, caso contrário você pode ficar com a eterna dúvida do “e se eu tivesse continuado e conseguido?”



Espero que essas dicas te ajudem à tão sonhada convocação.
Postar um comentário