Dicas da França - Parte 2

Finalmente saiu esse segundo post sobre a França, me tomou certo tempo, mas aqui está. No primeiro (esse aqui) eu falei da viagem no inverno, vale também dar uma conferida no post sobre a organização da viagem (aqui) e a parte 3 dessa série de posts com dicas gerais (aqui). Nesse trago as dicas do que vi por lá na primavera. Estação do ano no qual a cidade está lindíssima! Florida e muito viva! Podemos usar todas as roupas, dias muito ensolarados, mas à tarde pode ficar um pouquinho mais frio, daí o motivo de as francesas saírem de meia calça. Se estiver muito calor tiram e guardam na bolsa, se ficar frio com o cair da tarde, elas colocam de novo. Muito aprovado, acho que nunca usei tanto meia calça.

Atrações
Inverno (janeiro)
Primavera (maio)
1. Tour Eiffel + 58 Tour Eiffel
1. Tour Eiffel + 58 Tour Eiffel
2. Champs Elyssés
2. Champs Elyssés
3. Pizza Pino
3. Pizza Pino
4. Le Bourbon
4. Le Bourbon
5. Notre Dame
5. Notre Dame (Missa)
6. Capela da Medalha Milagrosa (fechada)
6. Capela da Medalha Milagrosa (aberta)
7. Place D’Italie
7. Place D’Italie
8. Louvre
8. Montparnasse
9. D’orsay
9. Pont des arts
10. Versalles
10. Leon de Bruxelles
11. Sacre Couer
11. Le bon marche
12. Montmartre
12. Crepe nas ruas (Nutella)
13. Roda Gigante
13. Jardin dês plants
14. Bateaux Parisiense
14. Touleries
15. Trocadero
15. Jardim de Luxemburgo
16. Sorbonne/Panteon
16. Inválidos
17. Bastilha
17. Amorino
18. Moulin Rouge
18. Champs de Mars (em frente a Torre)
19. Le Deauville 
19. Caminhar Região ao lado direito da Notre Dame
20. Caminhar na margem do  Rio Senna
20. Paul

21. Brioche Doreé

Passeios:
1. Tour Eiffel + 58 Tour Eiffel: Como já dito no outro post, a Torre vale a visita sempre. Dessa vez fomos só para o almoço, o Pic Nic do 58 Tour Eiffel. Pegamos uma fila considerável dessa vez, e o elevador deu problema, da outra vez caíram rebocos, mas tudo bem. Ficamos parados (presos rs) dentro do elevador por alguns minutos e depois consertaram e ele voltou a funcionar.



Esse dia estava muito cheio, beirando o insuportável. Ficamos no segundo piso e depois descemos para o primeiro piso, onde ficam os restaurantes. Como já havia dito, e nem todos sabem, o 58 Tour Eiffel não precisa de reserva. O Pic Nic que é a combinação de entrada, prato principal e sobremesa é servido no horário do almoço. A sobremesa dessa vez foi mousse de chocolate, que estava perfeitamente deliciosa! Aproveitamos para apreciar a vista com a iluminação e o calor do sol, o que no inverno não foi possível. Perfeito e imperdível!


2. Champs Elyssés: A rua fica belíssima com o sol que só se põe às 21:00hs. Olhar a Champs Elysées com a luz do sol parece um cartão postal, é algo encantador! Assim como no inverno, ela é lotada de turistas. Mas sempre vale o passeio, as lojas e restaurantes continuam demais, nem que seja para olhar.



3. Pizza Pino: Dessa vez estava mais vazio e ficamos no andar superior. A comida continuava deliciosa e o atendimento muito bom! Pedimos massa dessa vez.
4. Le Bourbon: A única coisa que sabíamos desse restaurante era que tínhamos amado o founde e queríamos voltar lá. Não lembrávamos o nome e nem o local exato. Sabíamos que ficava ali pelo bairro de Saint Germain des Pres. Chegamos na região e começamos a andar, procurando pelo restaurante, até que achamos! Sem cogitar, entramos e pedimos o founde. Novamente o restaurante estava cheio, com vários brasileiros, mas a maioria estava pedindo mexilhões, que estavam bem bonitos, mas o founde estava como queríamos, delicioso! Dessa vez anotamos o nome do lugar para não esquecer da próxima vez!





5. Notre Dame (missa): Passamos pela Notre Dame em uma tarde, e no domingo fomos à missa lá. Estava bem cheia, mas há espaço reservado para quem vai ficar para missa.



6. Capela da Medalha Milagrosa: Como já havia dito, na primeira vez em que fui ela estava fechada, então voltamos. Sou devota e queria muito conhecê-la. Ela fica na Rue du Bac, ao lado da La Grande Epicerie de Paris. Ao adentrar o portão, você encontra na parede do corredor várias plaquetas de agradecimento, há uma pequena loja com vários artigos, como terços, chaveiros, medalinhas, dvds, livros e etc. Costuma ficar bem movimentada. No final do corredor tem a famosa Capela. É simplesmente linda!!! Muito clara, com tons de azul e dourado, ela é acolhedora e emocionante. Não tem a ver com o estilo grande das outras igrejas, até por ser uma capela, ela é bem intimista. É linda demais, vale a pena visitar.



7. Place D’Italie: Caminhamos um pouco por ali, novamente fomos ao Shopping Italie 2. Ótimo para você ver realmente um bairro francês, sem muitos turistas.
8. Montparnasse: Esse é um bairro boêmio e bem gostoso da cidade. Você encontra bares e cafes para aproveitar a tarde parisiense. A famosa cena de cafes com pessoas sentadas conversando e bebericando algo na calçada pode ser facilmente encontrada nesse bairro. Ele fica ainda próximo ao Jardim de Luxemburgo. Não deixe de sentar em um cafe e aproveitar uma boa tarde de sol ou peça um crepe e se delicie.
9. Pont des arts: Essa é uma famosa ponte de Paris. Sua fama se dá por conta da quantidade de cadeados presos em suas grades. É linda e bem central na cidade, num dia de sol, você garante fotos belíssimas. A atração acaba atraindo turistas que acabam colocando mais cadeados. Mas a ponte não aguenta o peso, e mesmo já tendo sido solicitado pelas autoridades, as pessoas continuavam colocando cadeados. Em junho de 2014, parte da ponte cedeu e teve que fechar para restauração, mas graças a Deus, o incidente não teve vítimas. Após isso as autoridades têm incentivado os turistas a tirarem selfies e postarem no Twitter com a hashtag #lovewithoutlocks, buscam com isso que eles divulguem a mudança de comportamento.


10. Leon de Bruxelles: É um restaurante que fica na Champs Elysees. Eu não o conhecia e achei bem convidativo. Realmente vale muito a pena. Sua especialidade são mexilhões, e vimos que muita gente pede, mas preferimos outros petiscos com frutos do mar. Tudo estava uma delícia, desde a comida até o ambiente. Super recomendado.


11. La Grande Epicerie de Paris: É um “mercado”/ delicatessen gigante, lindo e maravilhoso, que fica próximo à Capela da Medalha Milagrosa. Você encontra especialidades do mundo todo, até mesmo do Brasil. Além de alimentos (pão, frutas, geléias, doces, castanhas, temperos....), você encontra coisas para casa, confeitaria, culinária, festinhas, cervejas e etc. É simplesmente encantador para quem gosta disso. Foi uma das melhores descobertas, dá vontade de comprar tudo!
12. Crepe nas ruas (Frango e Nutella): Essa é uma experiência que eu simplesmente não havia experimentado (como assim?). Quando saímos da Capela da Medalha Milagrosa estava perto da hora do almoço. Decidimos que queríamos muito provar os famosos crepes embalados que você pode comer andando. Paramos num crepe de esquina, não lembro o endereço, mas era num cafe que tinha um balcão para a rua que vendia o crepe. Simplesmente M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O!!! Ela jogou um temperinho, cortou o frango na hora e nossa, foi perfeito. Caminhamos sem pressa e sem destino, com a única certeza de que a sobremesa seria o Crepe de Nutella. Sim porque eu amo Nutella e os quiosques de crepe possuem um pote GIGANTE de Nutella, sério, queria muito aquilo, é praticamente um balde de Nutella. Acabamos andando até Montparnasse e lá compramos o Crepe, gostoso, mas a massa deixou a desejar. Enfim, a Nutella resolveu o problema! Comer o crepe de Paris é indispensável! Não sei como eu não havia comido!!!!
Agora vem comentários de parques e jardins... parece meio cansativo e repetitivo, mas pode ter certeza que cada um tem sua beleza e não me arrependi de conhecê-los.
13. Jardin dês plants: Esse jardim nos foi indicado pela Marie (dona da Pousada que ficamos em Paris). É um local lindíssimo, mas, pelo que me pareceu, pouco conhecido por turistas.  Ele fica na 57 rue Cuvier, 2 rue Buffon, 36 rue Geoffroy-Saint-Hilaire, place Valhubert 75005. Aproveitamos para caminhar, sentar num banquinho e ficar apreciando a natureza. Não esqueça da câmera, as fotos ficam belíssimas em tal cenário encantador. Você vai encontrar flores lindíssimas e muito bem cuidadas, uma árvore que seus galhos fazem uma cabana e você pode entrar, “casinhas” de abelha e etc… Foi um dos mais lindos jardins que eu fui.





14. Jardim des Tuileries: O Toulerie é o jardim que fica colado no Louvre, impecavelmente belo e bem organizado. Com um chafariz, parece um parque, tem cadeiras para sentar e aproveitar a vista, com cenários para muitas fotos. Tem gente correndo, gente jogando bola, crianças brincando e etc. Está à margem do Rio Sena e em frente à Place de la Concorde. É extremamente encantador.



15. Jardim de Luxemburgo: Ir na primavera a esse jardim é algo inspirador e convidativo. Inspirador porque é muita beleza por todos os lados e convidativo porque não tem como você não querer deitar na grama. Sabendo que provavelmente eu iria querer ficar deitada lá, aproveitando a natureza, quando estava arrumando minha mala para viagem resolvi levar uma canga (dessas que a gente leva para praia) e foi a melhor coisa. Ela é leve e não ocupa espaço, você forra e pronto, dá para deitar o casal e aproveitar. Tiramos um belo cochilo e foi energizante. Só tenha cuidado com seus pertences, como bolsa, câmera e etc. Fizemos um esquema de apoiar a cabeça na mochila e prender o resto nos braços de forma que se alguém mexesse nós perceberíamos. Não achei que alguém fosse mexer, mas seguro morreu de velho. O espaço para deitar na grama estava bem cheio, mas conseguimos um lugarzinho ao sol. Tinha de tudo, mãe com filhos (almoçando em marmitas), grupo de jovens com suas baguetes, mais jovens com música, enfim, uma das experiências mais simples e inesquecíveis para mim. Simplesmente me senti sossegada, sem correria de ver tudo, de querer conhecer tudo. Foi aquele cochilo que te deixa cheia de energia, mesmo que seja por alguns minutos. Mas voltando ao parque em si, ele é extremamente lindo. Você pode aproveitar as cadeiras para pegar sol e observar as pessoas passando, tirando foto, correndo, comendo baguete, vê o lago e ficar ali por alguns minutos (perfeito). O local é muito bem cuidado e vale cada segundo. Prepare-se para fotos belas.


16. Champs de Mars: é um parque situado em frente à Torre Eiffel. Já havia passado por ele, mas era inverno e estava bem escuro, parece outro lugar. Como na primavera o dia fica claro até tarde, dá para visitar a Torre e caminhar por ele depois. Essa foi a descoberta mais inusitada para mim. Saímos da torre e fomos andando, e conforme íamos andando, percebemos que muita gente (inclusive noivas) paravam para tirar foto, curiosos, paramos para ver, e foi aí que descobrimos o motivo: é o cenário/cartão postal mais lindo, pois ao fundo fica nada menos que a Torre Eiffel! Com a iluminação natural do dia, é algo inexplicável. Lindo, lindo, lindo!

17. Sorveteria Amorino: essa sorveteria é mistura de sabor com obra de arte. É uma delícia, os sabores são maravilhosos. O sorvete de casquinha vem no formato de flor! Eles montam como pétalas, dando esse formato! É lindo demais... Você encontra essa sorveteria em diferentes locais, encontramos na região dos castelos (Amboise), basta procurar na Internet. Ou se por um acaso se deparar com uma Amorino na sua frente, não precisa nem hesitar, pode entrar e se deliciar!

18. Inválidos: atualmente museu, o Hotel dos Inválidos foi construído para abrigar mutilados dos exércitos de Luís XIV. Para quem gosta de história da guerra e militar o local é muito rico de informação. Chegamos e a visitação do museu já estava fechado, mesmo assim pudemos passear por fora das salas de exposição. O ambiente é belíssimo e enorme. Com muitos detalhes dourados, o sol da primavera reflete de forma encantadora. Vale conhecer!




19. Caminhar na Região ao lado direito da Notre Dame: aproveitamos o domingo após a missa na Notre Dame e fomos caminhando ao seu redor, pelo lado direito. Encontrei várias lojinhas, cafés e etc. Achei bem agradável e ainda não havia ido por lá. Vale o passeio.
20. Paul: determinado dia que fomos ao Italie 2 acabamos comendo no Paul, que é uma boulangerie. Há muita variedade de pães e outras coisitas mais. O chocolate quente é bem gostoso, mas de forma geral não foi o melhor local que eu tenha comido, não mexeu totalmente. Vale para pegar umas coisas e levar para comer.
21. Brioche Doreé: também comi no Brioche Doreé na primeira vez que fomos a Paris, mas acabei esquecendo de escrever no post de inverno. Também no Italie 2, ele tem muitas opções para um almoço rápido ou um lanche. Achei bem gostosa a quiche lorraine (de lembrar já me dá fome). Boa dica para horas de pouco tempo.
Postar um comentário