Dicas de NY - Parte 1

Olá pessoal, como temos um feriadão agora e mais alguns nos próximos meses, aproveito para fazer um post que já estava planejado há um tempão e levou um tempinho para ser feito, assim como o de Paris.

Fui para NY em dezembro de 2013, queria muito conhecer a decoração de Natal por lá. Primeiro decidimos ir conhecer a Disney, e aproveitamos a viagem e inserimos NY também. Realmente tudo lá respira Natal e por onde você passa você vê uns enfeites mais lindos que os outros. 

O frio não colabora muito rs, mas no balanço geral eu achei que valeu. Sempre fico resmungando que quando está muito frio sempre acabamos usando as mesmas roupas (roupa térmica, calça jeans, camisas por cima e o casaco impermeável, tipo esquimó). Sim, realmente estava muito frio, e nos últimos dias foi excessivamente frio. 
Antes da viagem, comprei dois guias da cidade para entender seus bairros. Um foi o Guia Viagem de Bolso - O Melhor de Nova York 2013/2014 (Editora Abril) e o outro foi o Minha Nova York, da Didi Wagner (Editora Pulp). Que é excelente, gostei muito porque ela explica coisas para além do turistão. É bem interessante!
O Guia Viagem, dá dicas gerais e depois vai falando de cada bairro especificamente. Já o da Didi, ele explica de forma resumida cada bairro e depois vai falando de forma específica das dicas gerais mesmo que esteja em diferentes  bairros, ou seja, ela trata dos restaurantes, hospedagem…

Acho que quando você vai a NY, a primeira coisa que você precisa entender são os bairros. Porque é muita informação junta, e saber um pouquinho já te ajuda na logística. Lendo os guias, acabei fazendo um mini mapa para esclarecer meu raciocínio (aqui embaixo). 

No Guia Viagem, tem palavras chaves classificando cada bairro:
  • Uptown - Luxo
  • East e West Village - Alternativa
  • Chelsea e Meatpacking District - Fashion
  • Midtown - Aparece nos filmes  (leia-se, turistão)
  • Lower Manhattan - O centro econômico
  • Harlem - Gospel
  • Union Square, Flatiron District e Gramercy Park - Descoladas
  • Brooklyn - Bucólico

Vi neve pela primeira vez, achei linda, mas não faço questão de ver de novo nem tão cedo, por causa do frio rs. Achei a cidade muito viva e enérgica, realmente não pára.

Para esse assunto dividi em vários posts, pois estava muito grande. Nesse primeiro falo sobre hospedagem e transporte, no segundo, as dicas são sobre restaurantes, no terceiro, passeios e no quarto, lojas. Espero que ajude!
Hospedagem:
Não se assuste, hospedagem em NY, entenda-se Manhattan, é algo extremamente caro. Principalmente de acordo com o bairro que você fica. Você tem algumas opções quanto a isso:
- The Pod Hotel: optamos pelo Pod por ter sido indicado por um casal de amigos, que nos disse que ele era todo novinho e bem limpinho. O Pod tem hotel na rua 39 e na 51. Como era nossa primeira vez em NY decidimos uma localização próxima aos locais de turista. Mas, em uma próxima vez, pensamos ficar mais para cima, próximo ao Central Park. 

Sobre o Pod em si, gostamos muito. Realmente é tudo novinho, no entanto não espere um quarto espaçoso, são todos compactos. Optamos por uma categoria acima da básica, o que nos atendeu perfeitamente. Não há café da manhã, mas na maioria dos hoteis também não há. Os atendentes são muito atenciosos, a limpeza é excelente, eles recebem compras e te ajudam com reservas (pedimos o shuttle para nos levar de volta ao aeroporto). 
Sua localização é realmente boa, estávamos a poucos minutos da Grand Central Station. Ponto negativo é que mais próximo a ele não havia muitos restaurantes, e o restaurante que fica no hotel (falarei disso no post dos restaurantes) é mexicano, sem tempero suave, se é que me entendem. 
- Airbnb: quando eu estava planejando a viagem, uma amiga me indicou, mas acabei preferindo ficar em hotel. Até utilizei o site e reservei para viagem posterior que fiz para a França. Em relação à NY, uns meses depois, li uma matéria que informava que em NY estava proibido. O valor compensa bastante, mas procure sobre isso na época que você for.

- Hotel antigo só para dormir e com precinho camarada. Sinceramente, me conheço, prefiro gastar menos com roupas e compras e ficar num lugar legalzinho. Alguns casais de amigos falam que querem economizar e gastar tudo em compras. Só vão ao hotel para dormir. Esse não é o meu perfil, sei que se eu não tiver uma noite de sono tranquila, o dia seguinte não será tão proveitoso. Avalie qual é o seu perfil, tem vários vídeos dos hoteis no Youtube, eu vi alguns e achei meio trem fantasma, não conseguiria dormir lá.
Transporte
Sobre o transporte em NY, utilizamos shuttle, táxi e metro. 
- Shuttle: dia 03/12 chegamos, fomos ao balcão de atendimento e solicitamos um Shuttle, da empresa Super Shuttle, não precisa reservar, mas se quiser o site é esse aqui (dica dada por uma amiga). Vale muito a pena e não é necessário pegar táxi, que segundo ela custou US$75,00. Acho que pagamos US$19,00 por pessoa.



Esperamos cerca de 15 minutos, o motorista nos chamou pelo nome. Acho que pelo site paga-se antes. Na volta, o hotel agendava para a gente, acho que foi mais barato, o motorista só não tinha troco, e ficamos um tempão no frio da madrugada de dezembro de NY esperando o troco na porta do aeroporto. Achei o motorista do Super Shuttle mais confiável, apesar dele não falar nada rs não sei, me passou essa impressão.
- Táxi: Se a luz da numeração estiver acesa eles param, caso a luz esteja apagada, é porque está com passageiro. Tente pegar os amarelinhos com NYC escrito na porta. Muitas vezes na procura de táxi, apareciam umas figuras, num carro chamativo oferecendo o serviço de táxi, preferimos não arriscar!!!!


- Metro: Não sou muito boa nessa parte rs metro e mapa não fazem parte das minhas responsabilidades em nenhuma viagem! O meu papel foi pesquisar muito antes, e todo lugar que eu lia, falava que o mais importante era que assim que chegasse ao metro, pedisse um mapa, que eles oferecem gratuitamente. No blog Big apple com rapadura  eles explicam muito bem como andar de metro, tem um tal de bolinha preenchida e bolinha vazada para indicar se para ou não na estação, se é expresso ou não. Como eu não entendo (até o mapa do GPS me deixa confusa), isso é sempre tarefa do meu marido, que ama mapas.
Na Grand Central Terminal, não conseguimos o mapa, acho que tinha acabado, fomos conseguir em outra estação. Por isso é bom já ir com algum mapa e/ou tentar pegar o que tem no site deles (MTA). Nesse site também tem o Service Status, ajuda para ver se o serviço está normal ou se tem algum problema.
Vi alguns policiais nas estações que pediam para algumas pessoas para mostrar suas bolsas.
Dependendo da quantidade de dias que for ficar lá, vale comprar o passe semanal (Metrocard - 7-day unlimited pass), você ganha muito tempo para já passar na roleta, explicações também no Big apple com rapadura. Só tivemos dificuldade em como obter, porque é difícil entender a máquina, mas conseguimos rs ganha-se muito tempo com ele. Não conseguimos comprar no guichê, só na maquininha mesmo, chegue com um pouco de antecedência para comprá-lo e não atrasar seu planejamento. 



Agora uma observação mais ridícula e importante rsrsrs. Algumas vezes esse cartão com duração de 1 semana travava na roleta. Um belo dia eu passei e o meu marido ficou rsrs tentava passar e nada. O que eu “sabiamente” fiz? Saí para ajudá-lo, depois ele passou, e quando eu fui passar..... o cartão não passou, isso mesmo... descobrimos que não pode passar duas vezes direto, acho que tem que esperar 15 minutos. Faz todo sentido, mas enfim, não faça isso rs. 
Várias vezes isso acontecia, vimos muitas pessoas aproximando o cartão do leitor diversas vezes, pois o mesmo dava esse erro. Se isso acontecer, tente trocar de máquina ou espere um pouco, depois tenta de novo.

Outra observação, na Grand Central tem trem também, então pode ser meio confuso achar onde era a entrada para o metro. 



Aproveite para conhecer essa estação, tem lojas, restaurantes, quiosques, além disso, o seu teto é lindo, seu relógio é um clássico, soube que seu vidro é o maior vidro Tiffany. Ela inclusive já foi cenário de vários filmes (exemplo, “Os Intocáveis “ - 1987 - e “Os Vingadores” - 2012). Além disso, em dezembro, ocorre a feira de Natal, você encontra mil e uma coisas para presentes ou para sua casa. Muito artesanato, lembrancinhas, roupas, bolsas e etc.
Aqui acabamos a Parte 1 das dicas de NY, espero que ajude a quem possa precisar... no próximo vamos falar dos restaurantes, algo excelente nessa cidade! Beijinhos 
Postar um comentário