Livro: Mentes Consumistas – do consumo à compulsão por compras - Dra. Ana Beatriz B. Silva

Hoje venho com uma ótima dica de leitura para quem não conseguem se segurar quando olha algo na vitrine. Li esse livro há alguns meses e minha ideia inicial era fazer um outro tipo de post com ele (falando sobre o consumo e etc), mas acho que a grande maioria tem consciência disso, tanto que nessa semana li uma blogueira famosa dando dicas sobre finanças, gastos e etc e as leitoras querendo mais dicas.

Dessa forma, dá para perceber que há uma consciência sobre esse consumo e uma preocupação com o futuro. No entanto, ainda notamos uma necessidade de consumo que faz com que algumas pessoas se descontrolem. Quem não lembra da Delegada Helô (Giovanna Antonelli) em novela recente da Globo ou da personagem do livro/filme Os Delírios de consumo de Becky Bloom” (“Confessions of a Shopaholic”)?!
           

Com esse assunto em mente, me deparei com uma reportagem que fala de uma jovem britânica que vendeu sua casa por conta de uma dívida de R$ 150 mil (Glamour, 02/09/2014). Mais intrigada ainda com o assunto, vi um anúncio do livro da Dra. Ana Beatriz B. Silva e achei que valia a pena comprar. Ela é uma psiquiatra com diversos livros publicados sobre comportamento humano (clique aqui para seu site).

Seu livro, “Mentes Consumistas – do consumo à compulsão por compras” vem tratar exatamente desse assunto. A psiquiatra conta que a partir de inúmeros casos em seu consultório com consumidores compulsivos (oniomaníacos), começou a pesquisar mais sobre o assunto. O livro tenta abrir nossos olhos para certas questões e para a forma como podemos ser influenciados e inclinados ao consumo.

Segundo a Dra. Ana Beatriz, cada vez mais jovens são atingidos, sendo muito comum vê-los endividados. A compulsão por compras já é considerada um vício, uma vez que situações prazerosas são capazes de viciar e podem gerar dependência. A autora destaca com razão, que devemos lembrar que o ter não pode tomar o lugar do ser, uma pessoa não pode ser considerada por aquilo que tem, e sim por aquilo que ela é.
Para a autora: “De modo alienante, consumimos impulsivamente, sem nenhuma reflexão prévia, e compramos aquilo de que não necessitamos, que usaremos poucas vezes ou por muito pouco tempo, a fim de nos exibir para quem não conhecemos.” (p.35)

Esse livro vale muito a leitura, tanto para quem precisa quanto para quem acha que não precisa. Sua leitura é fácil e nos ajuda a retomar alguns valores que vão sendo esquecidos em nossa sociedade.
Postar um comentário